Salário Mínimo no Chile: Veja o valor

Salário Mínimo no Chile, qual o valor?

O Chile é um país cheio de riquezas naturais e belezas muito convidativas para uma viagem, um passeio e para fotos com amigos e parentes.

Mas se tem outra coisa que atrai muito as pessoas em relação ao Chile é o salário mínimo do país. Isso porque a política neoliberal é vista por muitas pessoas como uma boa opção para ganhar mais dinheiro.

Explicando ao certo, a estratégia não conta com códigos legais que definam parâmetros trabalhista.

Ou seja, em primeira linha, não existe um “salário mínimo” no país. O real valor do trabalho chileno sempre dirá respeito à negociação feita entre patrão e funcionário.

Em análise profunda, muitos especialistas gostam do resultado conquistado pelo Chile em termos de crescimento, já que sua economia é considerada por muitos como uma das mais sólidas da América Latina.

Já falamos aqui sobre o salário mínimo na Argentina e o Salário Mínimo no Uruguai. Agora é hora de saber o salário mínimo no Chile.

salário mínimo no Chile
Santiago no Chile

Salário Mínimo no Chile: qual o valor?

Mas afinal, qual é o salário mínimo do Chile? De acordo com portais especializados o valor é de 250 mil pesos chilenos por mês.

Esse valor é o equivalente a R$ 1.339,00.

O valor pago costuma ser reduzido pela metade para menores de 18 anos e idosos acima dos 65 anos.

No entanto, para os adultos, dificilmente paga-se apenas o valor do salário mínimo. Quase sempre a pessoa consegue um valor a mais a título de alguma ajuda de custo ou comissão.

Uma questão preocupante em relação ao salário mínimo do Chile é a informalidade.

Por existir uma verdadeira liberação para que as empresas contratem e paguem da forma preferível, existem estimativas que apontam que mais da metade dos trabalhadores vivem com menos que o mínimo legal.

O Chile é um país industrializado e tecnológico, é a 43ª economia do mundo e conta com cerca de meio trilhão de dólares em seu PIB, 40% vindo da origem industrial.

Mais de 50% da economia é originária do setor de serviços. Sua política neoliberal reduz a burocracia, aumentando a criação de empregos, porém reduzindo a estabilidade e garantias de boas relações de direitos do trabalho.

Em 2016, a taxa de desemprego no Chile era considerada baixa, menos de 7% dos Chilenos estavam sem emprego.

Mais de oito milohões de pessoas tinham vínculo empregatício. O Chile não conta com uma legislação trabalhista (desde a época da ditadura).

Chile: um bom lugar para se viver

É regra pagar ao menos o salário mínimo no Chile?

A falta de regras trabalhistas ajuda  na existência de vagas, mas também faz com que grande parte dos trabalhadores não recebam o que seria considerado justo para tal função.

No Chile, os direitos trabalhistas variam sempre de acordo com a forma de contrato de trabalho negociado entre o contratado e contratante.

O empregado terá de concordar com os termos do patrão (e vice versa) para que a vaga seja preenchida.

Não existe uma lei específica para garantir os deveres do empregador e direitos do trabalhador, por isso, não é possível listar quais seriam as regras.

Paisagem no Chile

Benefícios são comuns no país, como as férias e compensações, mas em forma mais reduzida que o normal para brasileiros.

O custo de vida no país deve ser estudado com calma por um brasileiro que deseja tentar a vida por lá: além da barreira linguística, os locais mais conhecidos (como Santiago) tendem a contar com aluguel mais caro, além de outras contas como luz, telefone, internet e etc.

Veja o vídeo super interessante que compartilhamos aqui sobre o Salário mínimo no Chile:

Se você quiser informações detalhadas sobre o custo de vida no Chile, indicamos esse excelente artigo. Se você tem interesse em emigrar para o Chile, leia o artigo e fique por dentro de todas as informações.

Nova Lei de Emigração no Chile

Se você está pensando em emigrar para o Chile, é bom saber que desde de o mês de Agosto/18 está em vigor uma nova lei naquele país.

Essa Lei trouxe diversas mudanças na emigração para o Chile, dificultando um pouco a entrada de pessoas que queiram residir e trabalhar.

Portanto, a partir de agora, não é mais possível ir para o Chile como turista e depois pedir o visto de permanência. Se você pretende morar lá, vai ter que pedir o visto antes de ir, no Consulado chileno.

Para saber o endereço dos Consulados chilenos no Brasil, veja aqui.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.