Salário Mínimo na Argentina: Qual o valor?

O salário mínimo na Argentina é hoje o segundo maior de toda América Latina. Já na América do Sul ele atinge o topo do ranking, isso porque poucos são os países que oferecem salários tão recompensadores a seus trabalhadores quanto os argentinos.

No entanto, tudo é muito belo em teoria. Na prática, a situação dos trabalhadores do país argento é delicada e complicada, especialmente devido a complexa relação com o dólar.

Quanto é o Salário Mínimo na Argentina?

O salário mínimo na Argentina recentemente sofreu mudanças aprovadas pelo governo e teve um aumento “significativo”. O fato ocorreu em janeiro de 2017 quando o valor de 8.060 pesos argentinos passou a valer para trabalhadores que cumpriam oito horas diárias de trabalho.

Difícil não compará-lo com o Brasil. Argentina e Brasil sempre tiveram seus contrapontos que geravam uma lista de comparações.

Seja pela rivalidade gerada ao longo dos anos no futebol, seja pela proximidade entre as regiões que, mesmo tão próximas acabam sendo diferentes.

Não tão diferentes quanto a fronteira México e Estados Unidos. Mas, em nível de comparação o salário mínimo da Argentina é praticamente o dobro do salário mínimo brasileiro.

Novamente, se comparado, o peso pago pelo salário mínimo em valores reais equivale em torno de R$ 2.040 reais por mês pela quantidade de horas normais trabalhadas.

Vantagens e Desvantagens do Trabalhador Argentino

Assim como no Brasil, o salário mínimo na Argentina é pago mensalmente. No entanto, na Argentina as condições de contratação são diferentes das que o Brasil possui.

Por exemplo, na Argentina também é pago o 13º salário, mas seu pagamento é realizado em doze parcelas ao longo do ano, em vez de uma parcela única em dezembro.

Outra vantagem que o trabalhador argentino tem é a possibilidade de mais folgas na semana. Existe flexibilidade nas horas trabalhadas.

Claro, o mínimo de oito horas de trabalho precisa ser respeitado, mas ele pode ser estendido para até doze 12 horas. Ao final isso pode influenciar quanto aos dias trabalhados.

Há duas opções para o trabalhador Tudo dependerá do contrato pré-estabelecido com o empregador. Veja:

  • Trabalhar cinco dias da semana para completar às 40 horas. Ou;
  • Trabalhar três dias da semana em um total de 12 horas completando as mesmas 40 horas.

Toda essa flexibilidade talvez seja a maior vantagem do salário mínimo na Argentina.

Para o trabalhador que opta por esforçar-se um pouco mais há a possibilidade de conciliar dois empregos de três dias de trabalho em cada, descansando aos domingos.

Outro fato interessante é a menor quantidade de encargos sobre o salário. Por exemplo, não há taxação sobre o décimo terceiro salário que é depositado integralmente para o trabalhador.

A grande desvantagem de trabalhar na Argentina está ligada diretamente a economia inconstante do país. Vez ou outra a Argentina vivencia períodos de crises e problemas inflacionários.

Se você quiser informações sobre o Salário Mínimo no Uruguai, temos um ótimo artigo, veja aqui.

Esperamos tê-los ajudado com essas informações curiosas a respeito do salário mínimo da Argentina, até a próxima!

Veja também:

Salário Mínimo na Espanha

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.